domingo, 13 de julho de 2008

LEYA e U. de Coimbra no Google

O Google vai contar com a colaboração do Grupo LEYA e da Universidade de Coimbra para aumentar o seu acervo de livros electrónicos no Google Book Search.

O Google Book Search (GBS) funciona como motor de busca dedicado aos livros, alojando milhares de obras em domínio público e excertos de obras protegidas por direitos de autor.


Desde a sua fundação, em 2004, o GBS contou com a parceria das principais bibliotecas universitárias norte-americanas, como Harvard, Oxford e Standford, e ainda da Biblioteca Pública de Nova Iorque, que forneciam os livros para que o Google os digitalizasse.


Até aqui, nenhuma entidade pública portuguesa se tinha associado.


A adesão da Universidade de Coimbra ao projecto vai permitir fornecer gratuitamente a todo o Mundo tesouros literários como, por exemplo, os que estão esquecidos nas estantes da Biblioteca Joanina.


Os livros fornecidos pela Universidade de Coimbra estarão em domínio público e poderão ser lidos na íntegra.

Já as editoras do grupo LEYA representam aquilo que de melhor se publica em Portugal. Incluem autores como Saramago e Lobo Antunes e editoras como a ASA, a Caderno, a Caminho, a Dom Quixote, a Gailivro, a Livros d'Hoje, a Lua de Papel, a Ndjira - Moçambique, a Nova Gaia, Nzila - Angola, a Oceanos e a Texto.


Os livros fornecidos pelas editoras do grupo LEYA estarão protegidos por direitos de autor e apenas será possível ler excertos.


O objectivo do Grupo LEYA é promover os seus autores. Quando um utilizador efectua uma pesquisa, é levado para página digitalizada do livro. Cada página contém links que permitem aos utilizadores comprarem o livro online. Nas pesquisas, os utilizadores poderão também visualizar anúncios do Google Adwords devidamente segmentados. Os editores receberão uma parcela das receitas geradas a partir dos anúncios exibidos.


Até agora, apenas a portuguesa Centro Atlântico se tinha aventurado.


O Google Book Search representa aquilo com que os amantes de livros electrónicos sempre sonharam: milhares de livros online. No entanto, desde o início que foi marcado pela polémica em torno das questões dos direitos de autor.


Hoje, o GBS representa para alguns a monopolização por uma entidade privada de todo o conhecimento e património cultural da Humanidade, com os efeitos nefastos que daí poderão advir. O Google terá no seu poder recomendar livros em detrimento de outros. Algo que preocupa Siva Vaidhyanathan, especialista em media e historiador da Cultura na Universidade da Virgínia, que já fala na "googlização de tudo".



Para mais informações: http://books.google.pt/
Notícias no PÚBLICO: 1 e 2.

1 comentário:

Raffa disse...

Fabuloso! É bom ver o Google Books Search a crescer.