quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Novidades da Sony: PRS 300 e PRS 600

A Sony acaba de confirmar o lançamento de dois novos dispositivos de leitura. O Sony PRS 300 Pocket Edition destina-se a novatos nos livros eletrónicos, enquanto o Sony PRS 600 Touch Edition tem em vista utilizadores mais exigentes.


O modelo básico rondará os 200 dólares (cerca de 140 euros, ou 370 reais); enquanto o mais avançado andará pelos 300 dólares (cerca de 210 euros, ou 550 reais).

A edição de bolso (PRS 300) terá um ecrã E-ink Vizplex de 5 polegadas, com uma resolução de 800 x 600 pixeis e 8 escalas de cinza. É visto como um sucessor do Sony PRS 505 e permite as funcionalidades básicas de leitura.

Já o Sony PRS 600 terá um ecrã tátil de seis polegadas e é reconhecido como um sucessor do Sony PRS 700. O leitor funcionará através de comandos diretos no monitor, com os dedos ou um estilete. Será possível sublinhar frases e criar anotações.

Ambos os aparelhos suportarão o formato proprietário da Sony, o BBeB Book, bem como PDF, EPUB, TXT, RTF e DOC (Word da Microsof).

Num e noutro será possível ouvir música nos formatos MP3 ou AAC e ver fotografias nos formatos JPEG, PNG, GIF e BMP.

A Sony promete que os dois dispositivos permitirão ler 6.800 páginas em formato EPUB sem necessidade de recarregar a bateria.

Algumas fontes revelam que os manuais dos dispositivos preveem a existência de menus em Inglês, Francês, Alemão e Neerlandês. Isto poderá significar uma aposta da Sony no mercado europeu.

Nenhumas referências são feitas ao Português, pelo que não é de esperar que possam ser comprados diretamente nas lojas de Portugal ou do Brasil.

Até ao momento, para além dos Estados Unidos da América, está já garantido o lançamento das novas engenhocas no Canadá.

Fontes: Mobileread.com, SonyInsider.com, Sony.com
Ver também: Público.pt

Ricardo F. Diogo:

São boas notícias.

É verdade que, aparentemente, os aparelhos não trazem nada de tecnologicamente inovador.

Mas revelam que a Sony está neste mercado para ficar.

Era previsível, depois do compromisso de popular a sua livraria em linha com milhões de obras digitalizadas pela Google.

Os Sony 300 e 600 não deverão poder ligar-se diretamente à Internet.

Mas especula-se que não demorará muito até que a empresa anuncie um modelo de maiores dimensões, comparável ao Kindle DX. A Amazon enfrentaria assim um concorrente no mercado norte-americano no segmento do público ultraexigente.

Seria preciso, contudo, a Sony entender-se com as operadoras de telecomunicações mundiais para que pudesse ligar o seu aparelho remotamente à Internet. Tarefa que se tem mostrado árdua para a Amazon na Europa e que tem impedido a implantação do Kindle do mercado europeu.

Os dispositivos de leitura da Sony sempre me atraíram, sobretudo pelo seu design. Com o lançamento do Sony 700 fiquei radiante com a possibilidade de selecionar texto.

Mas sempre me enfureceu que a Europa fosse deixada de fora.

Caso o Sony PRS 600 venha a ser lançado em solo europeu, terei de optar entre continuar com o meu Cybook Gen3 da Bookeen ou dar o salto para um novo aparelho.

Considero essencial poder sublinhar frases, parágrafos e tirar notas. E o Sony 600 dá essa possibilidade.

Lamento que a Sony não suporte nativamente o formato HTML, que se encontra mais do que disseminado e estabilizado na Rede.

Mas admiro que suporte o padrão EPUB (como já vinha fazendo nos modelos anteriores). O lançamento recente de ferramentas de edição de ficheiros EPUB, retiraram-me alguns receios. Talvez possa vir a dizer definitivamente adeus ao formato Mobipocket.

Também não me agrada ter de instalar um software especial no computador para poder gerir o aparelho. Com o lançamento iminente do Windows 7, aguardarei as avaliações ao desempenho dos aparelhos e da sua interação com o novo sistema operativo da Microsoft.

Quanto a preços, caso seja lançado na Europa, estou preparado para ter de despender mais de 210 euros. Haverá que ter em conta as taxas de transporte e todo o tipo de impostos.

4 comentários:

Adoa disse...

São boas notícias!

A conecção com a internet serve mais para quem gosta de ler o seu jornal todos os dias, mas nem todos os jornais estão a fazer essa ligação.

Quanto a estes dois modelos, fico contente com o PRS 600, se for uma versão melhorada do PRS 700, venha ele! O facto de se poder seleccionar e sublinhar texto é bastante prático e importante!

Anónimo disse...

De onde mandar vir sem grande taxas?
Conhecem esta loja on line?
http://www.bol.com/nl/p/elektronica/sony-reader-touch-edition-rood/9000000006931126/index.html

Manuel Pereira da Silva disse...

Para nos animar um pouco!!!
Mario Vargas Llosa refere na edição de hoje do jornal “EL PAÍS” a propósito das eleições Presidenciais no Chile que deram a vitória ao candidato da direita, Sebastian Piñera, que num encontro que teve com este, três dias antes do acto eleitoral, lhe perguntou qual queria que fosse a sua melhor contribuição no governo se ganhasse as eleições. “Dar um impulso decisivo ao nosso plano de oito anos, para crescer a um prometido 6% anual, algo perfeitamente realizável. Se o conseguirmos, o PIB, que é agora de 14.000 dólares terá um aumento para 24.000. Alcançamos Portugal”, Chile deixará então o subdesenvolvimento e será o primeiro país da América Latina a integrar o primeiro mundo.

Tendo o nosso governo copiado o modelo Chileno de Avaliação de Professores, eis senão quando que passamos a ser o modelo a seguir.
Um abraço,
Pedro Nunes

Pedro disse...

Boas!! Quero vender o meu reader book para comprar outro reader de outra marca. O reader que quero vender é o 'sony reader 600'. Tenho garantia porque comprei há 2 meses em Inglaterra. Como ainda está perfeitamente novo e pela dificuldade em comprar aqui em Portugal, tenciono vender ao seu preço '245' - o que acaba por ser uma vantagem para quem quiser comprar porque não tem de pagar taxas de transporte. Para o caso de estar interessado, o meu contacto é 'peclor@hotmail.com'.

Um abraço,

Pedro